Já sou Afiliado

Logo_onph_500x500compress

Criar filhos independentes e seguros

7 maneiras  de como os pais podem ajudar no desenvolvimento de seus filhos

A presença dos pais tem um grande impacto na vida das crianças. O desempenho escolar, a vida social e o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, melhoraram com o contato contínuo com os pais.

Às vezes, os membros da família podem não estar presentes na vida uns dos outros, mesmo quando moram juntos.

Outra situação muito comum, principalmente no Brasil, é o divórcio. Na maioria das vezes, as crianças vivem com a mãe e interagem com ela diariamente. Por sua vez, os pais só podem vê-los em dias programados.

Por isso, alguns pais mantêm distância de seus filhos. Não necessariamente porque eles não querem estar em contato com eles, mas porque suas vidas não estão mais totalmente conectadas à deles. Equilibrar tantos relacionamentos familiares se torna mais difícil quando há novos relacionamentos.

Mesmo sem malícia, essa alienação pode afetar a forma como as crianças veem e interagem com o mundo. As consequências podem não ser imediatamente aparentes, mas surgirão em algum momento da vida das crianças. Afinal, o pai é uma figura importante na família.

Como uma mãe, ele ensina conhecimentos sobre o mundo, pessoas, habilidades de sobrevivência, comportamentos saudáveis, relacionamentos e muito mais que ficarão com as crianças por toda a vida.

Presença dos pais na vida dos filhos

Quanto mais forte o vínculo entre a criança e o pai, mais felizes eles serão. A conexão não se trata apenas de momentos de conversa ou brincadeira, mas de uma participação ativa no seu crescimento.

Acompanhar consultas médicas, ajudar nos trabalhos de casa ou nas sessões de estudo em casa, assistir a apresentações na escola e eventos importantes como formaturas, aniversários e competições são situações que fortalecem o vínculo entre pais e filhos.

A presença de um pai durante as decepções iniciais, contratempos, fracassos, discussões entre amigos e até o fim de um relacionamento é muito importante para uma criança. Os pais compartilham muitas lições valiosas por meio da sabedoria adquirida em experiências de vida mais amplas.

Claro, muitos pais estão ocupados por causa do trabalho. Nem sempre é possível dar tanta atenção às crianças ou acompanhá-las para cumprir todos os seus compromissos. Nessas situações, o diálogo é a ferramenta mais importante para compreender seus sentimentos, medos e realizações.

Além de investir em mais comunicação, os pais ocupados também precisam encontrar tempo para interagir com seus filhos. Pode ser na hora de dormir ou em um horário específico no fim de semana. Com mais tempo livre nesse período, os pais podem fortalecer os laços familiares participando de atividades de lazer.

Agendar tempo para brincar é benéfico porque os pais podem reduzir o estresse durante a semana e ainda aproveitar o tempo de qualidade com seus filhos.

Veja abaixo como a presença dos pais afeta o desenvolvimento do filho.

1. Melhorar o desempenho escolar

Devido ao interesse do pai pela vida escolar, os filhos estão mais focados na aprendizagem e nas atividades escolares. Embora seja impossível prever se eles continuarão a manter os mesmos interesses no futuro, os filhos de pais interessados são mais propensos a gostar de aprender.

No entanto, com crianças com dificuldades de aprendizagem, os pais devem saber quando cobrar boas notas e quando ajudar. Compreender diante do baixo desempenho é a melhor resposta para não deixar seu filho esperar demais.

A inteligência das crianças também responde à presença dos pais em outras áreas. Pais engajados, atenciosos e brincalhões, sem saber, melhoram as habilidades cognitivas e linguísticas de seus filhos. Eles também tinham QIs mais altos, de acordo com o estudo “A Importância dos Pais para o Desenvolvimento Saudável das Crianças”.

2. Reduzir o comportamento disciplinar na escola e em casa

Os pais podem ter dificuldade em encontrar o equilíbrio entre relaxamento e disciplina. Afinal, quando é um amigo e quando é uma disciplina?

Se um pai brinca demais, corre o risco de que os filhos não levem o sermão a sério quando necessário. Se um pai lista muitas regras e diretrizes, ele é “chato” e pode ser rejeitado pelos filhos, principalmente os adolescentes.

Você pode seguir algumas dicas sobre como se relacionar com seu filho, mas grande parte do processo de encontrar esse equilíbrio é resultado de tentativa e erro. A experiência do mundo real lhe ensinará as melhores maneiras de conversar e resolver conflitos familiares.

Para isso, é preciso ter paciência e observar a resposta de cada criança – sim, as crianças são diferentes e por isso requerem um tratamento único. Pais que dão os passos certos tendem a manter mais a atenção dos filhos quando disciplinam, repassam os ensinamentos e regras de conduta na cultura familiar e, assim, reduzem a indisciplina na escola, em casa e em outros ambientes.

É importante ressaltar que o processo é desafiador, de longo prazo e, o mais importante, livre de violência. “Bater” só vai deixar as crianças com medo dos pais, mentir para esconder melhor suas pegadinhas.

3. Ofereça lições de vida pelo exemplo

As crianças podem não falar, mas sabem o que seus pais estão fazendo. Os meninos prestam atenção especial às explosões de raiva, confiança, atitudes contraditórias, palavras sinceras e importantes lições de vida. Portanto, a presença dos pais ajuda a alcançar o bom comportamento.

Os pais que envolvem seus filhos em suas vidas os ajudam sem saber. Esse momento de aprendizado pode ser qualquer coisa, desde uma conversa sobre um dia de trabalho até um convite para jogar um jogo. O comportamento dos pais enriquece o conhecimento das crianças sobre relacionamentos e as regras de comportamento certo e errado.

Para isso, é preciso ter paciência e observar a resposta de cada criança – sim, as crianças são diferentes e por isso requerem um tratamento único. Os pais que dão os passos certos tendem a reter mais a atenção de seus filhos quando disciplinam, ensinam os ensinamentos e regras de conduta na cultura de sua família e, assim, reduzem a indisciplina na escola, em casa e em outros ambientes.

É importante ressaltar que o processo é desafiador, de longo prazo e, o mais importante, livre de violência. “Apanhar” só vai deixar as crianças com medo dos pais, mentir para esconder melhor suas pegadinhas.

4. Aumente a autoconfiança do seu filho

O elogio que uma criança recebe de um pai dura a vida toda. “Você pode fazer isso!”, “Estou orgulhoso de seus esforços”, “Parabéns pelo que você realizou. Eu sei que você pode fazer isso!”, “Eu apoio você” e outras frases que expressam encorajamento e celebram conquistas podem ser auto confiança estabelecida da criança.

Concentrar-se em vencer e trabalhar duro para atingir metas ensina as crianças a perseverar e reconhecer seus esforços quando falham. A presença dos pais nos momentos bons (e ruins) mostra que eles sempre têm o suporte necessário para enfrentar os obstáculos. Portanto, não tenha medo de agir.

Filhos de pais indiferentes são inseguros, têm baixa auto-estima e precisam de aprovação externa. Eles buscam reconhecimento em outro lugar. Portanto, eles são mais propensos a se envolverem em relacionamentos tóxicos.

5. Promova Perspectivas Diversas

Pais e mães têm opiniões, ideias e soluções diferentes para os problemas. Quando as crianças são expostas a essa perspectiva diversa, seu mundo interior se expande. Ela pode resolver problemas de diferentes maneiras e analisar os obstáculos em seu caminho de diferentes ângulos.

Além disso, quando pais e mães trabalham juntos para transmitir suas habilidades a eles, as habilidades da criança são multiplicadas.

6. Promove um melhor desenvolvimento emocional

As crianças que vivem com os pais desde cedo sentem-se mais seguras emocionalmente. Eles são mais confiantes, independentes, curiosos e, à medida que crescem, desenvolvem relacionamentos saudáveis.

Como a presença dos pais faz com que seus filhos se sintam bem-vindos, eles não têm medo de explorar o mundo e as oportunidades ao seu redor. Durante a adolescência, e especialmente na idade adulta, eles podem se sentir seguros para procurar ajuda com um problema que os preocupa (o que muitas vezes é constrangedor para o filho).

Brincar com os pais pode ensinar as crianças a regular seu comportamento e emoções. De acordo com o estudo “A Importância dos Pais no Desenvolvimento Saudável das Crianças”, as crianças que dependem da presença do interesse do pai são menos propensas a ter depressão, ansiedade e apresentar comportamentos autodestrutivos, como mentir ou brigar.

7. Ensinando sobre relacionamentos

Você sabia que aprendemos sobre relacionamentos amorosos olhando para nossos pais?

Não é incomum que homens que agridem suas esposas presenciem o mesmo comportamento na família. Da mesma forma, as mulheres em relacionamentos ruins costumam citar a submissão da mãe como exemplo.

Inconscientemente, a forma como os pais tratam suas mães é absorvida pelos filhos, que, ao procurarem um parceiro, tendem a escolher pessoas cujos comportamentos se assemelham à dinâmica familiar. Os pais mostram aos filhos com quem eles devem se conectar no futuro e como eles devem se conectar.

ONPH BRASIL.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe

Criar filhos independentes e seguros

7 maneiras  de como os pais podem ajudar no desenvolvimento de seus filhos

A presença dos pais tem um grande impacto na vida das crianças. O desempenho escolar, a vida social e o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, melhoraram com o contato contínuo com os pais.

Às vezes, os membros da família podem não estar presentes na vida uns dos outros, mesmo quando moram juntos.

Outra situação muito comum, principalmente no Brasil, é o divórcio. Na maioria das vezes, as crianças vivem com a mãe e interagem com ela diariamente. Por sua vez, os pais só podem vê-los em dias programados.

Por isso, alguns pais mantêm distância de seus filhos. Não necessariamente porque eles não querem estar em contato com eles, mas porque suas vidas não estão mais totalmente conectadas à deles. Equilibrar tantos relacionamentos familiares se torna mais difícil quando há novos relacionamentos.

Mesmo sem malícia, essa alienação pode afetar a forma como as crianças veem e interagem com o mundo. As consequências podem não ser imediatamente aparentes, mas surgirão em algum momento da vida das crianças. Afinal, o pai é uma figura importante na família.

Como uma mãe, ele ensina conhecimentos sobre o mundo, pessoas, habilidades de sobrevivência, comportamentos saudáveis, relacionamentos e muito mais que ficarão com as crianças por toda a vida.

Presença dos pais na vida dos filhos

Quanto mais forte o vínculo entre a criança e o pai, mais felizes eles serão. A conexão não se trata apenas de momentos de conversa ou brincadeira, mas de uma participação ativa no seu crescimento.

Acompanhar consultas médicas, ajudar nos trabalhos de casa ou nas sessões de estudo em casa, assistir a apresentações na escola e eventos importantes como formaturas, aniversários e competições são situações que fortalecem o vínculo entre pais e filhos.

A presença de um pai durante as decepções iniciais, contratempos, fracassos, discussões entre amigos e até o fim de um relacionamento é muito importante para uma criança. Os pais compartilham muitas lições valiosas por meio da sabedoria adquirida em experiências de vida mais amplas.

Claro, muitos pais estão ocupados por causa do trabalho. Nem sempre é possível dar tanta atenção às crianças ou acompanhá-las para cumprir todos os seus compromissos. Nessas situações, o diálogo é a ferramenta mais importante para compreender seus sentimentos, medos e realizações.

Além de investir em mais comunicação, os pais ocupados também precisam encontrar tempo para interagir com seus filhos. Pode ser na hora de dormir ou em um horário específico no fim de semana. Com mais tempo livre nesse período, os pais podem fortalecer os laços familiares participando de atividades de lazer.

Agendar tempo para brincar é benéfico porque os pais podem reduzir o estresse durante a semana e ainda aproveitar o tempo de qualidade com seus filhos.

Veja abaixo como a presença dos pais afeta o desenvolvimento do filho.

1. Melhorar o desempenho escolar

Devido ao interesse do pai pela vida escolar, os filhos estão mais focados na aprendizagem e nas atividades escolares. Embora seja impossível prever se eles continuarão a manter os mesmos interesses no futuro, os filhos de pais interessados são mais propensos a gostar de aprender.

No entanto, com crianças com dificuldades de aprendizagem, os pais devem saber quando cobrar boas notas e quando ajudar. Compreender diante do baixo desempenho é a melhor resposta para não deixar seu filho esperar demais.

A inteligência das crianças também responde à presença dos pais em outras áreas. Pais engajados, atenciosos e brincalhões, sem saber, melhoram as habilidades cognitivas e linguísticas de seus filhos. Eles também tinham QIs mais altos, de acordo com o estudo “A Importância dos Pais para o Desenvolvimento Saudável das Crianças”.

2. Reduzir o comportamento disciplinar na escola e em casa

Os pais podem ter dificuldade em encontrar o equilíbrio entre relaxamento e disciplina. Afinal, quando é um amigo e quando é uma disciplina?

Se um pai brinca demais, corre o risco de que os filhos não levem o sermão a sério quando necessário. Se um pai lista muitas regras e diretrizes, ele é “chato” e pode ser rejeitado pelos filhos, principalmente os adolescentes.

Você pode seguir algumas dicas sobre como se relacionar com seu filho, mas grande parte do processo de encontrar esse equilíbrio é resultado de tentativa e erro. A experiência do mundo real lhe ensinará as melhores maneiras de conversar e resolver conflitos familiares.

Para isso, é preciso ter paciência e observar a resposta de cada criança – sim, as crianças são diferentes e por isso requerem um tratamento único. Pais que dão os passos certos tendem a manter mais a atenção dos filhos quando disciplinam, repassam os ensinamentos e regras de conduta na cultura familiar e, assim, reduzem a indisciplina na escola, em casa e em outros ambientes.

É importante ressaltar que o processo é desafiador, de longo prazo e, o mais importante, livre de violência. “Bater” só vai deixar as crianças com medo dos pais, mentir para esconder melhor suas pegadinhas.

3. Ofereça lições de vida pelo exemplo

As crianças podem não falar, mas sabem o que seus pais estão fazendo. Os meninos prestam atenção especial às explosões de raiva, confiança, atitudes contraditórias, palavras sinceras e importantes lições de vida. Portanto, a presença dos pais ajuda a alcançar o bom comportamento.

Os pais que envolvem seus filhos em suas vidas os ajudam sem saber. Esse momento de aprendizado pode ser qualquer coisa, desde uma conversa sobre um dia de trabalho até um convite para jogar um jogo. O comportamento dos pais enriquece o conhecimento das crianças sobre relacionamentos e as regras de comportamento certo e errado.

Para isso, é preciso ter paciência e observar a resposta de cada criança – sim, as crianças são diferentes e por isso requerem um tratamento único. Os pais que dão os passos certos tendem a reter mais a atenção de seus filhos quando disciplinam, ensinam os ensinamentos e regras de conduta na cultura de sua família e, assim, reduzem a indisciplina na escola, em casa e em outros ambientes.

É importante ressaltar que o processo é desafiador, de longo prazo e, o mais importante, livre de violência. “Apanhar” só vai deixar as crianças com medo dos pais, mentir para esconder melhor suas pegadinhas.

4. Aumente a autoconfiança do seu filho

O elogio que uma criança recebe de um pai dura a vida toda. “Você pode fazer isso!”, “Estou orgulhoso de seus esforços”, “Parabéns pelo que você realizou. Eu sei que você pode fazer isso!”, “Eu apoio você” e outras frases que expressam encorajamento e celebram conquistas podem ser auto confiança estabelecida da criança.

Concentrar-se em vencer e trabalhar duro para atingir metas ensina as crianças a perseverar e reconhecer seus esforços quando falham. A presença dos pais nos momentos bons (e ruins) mostra que eles sempre têm o suporte necessário para enfrentar os obstáculos. Portanto, não tenha medo de agir.

Filhos de pais indiferentes são inseguros, têm baixa auto-estima e precisam de aprovação externa. Eles buscam reconhecimento em outro lugar. Portanto, eles são mais propensos a se envolverem em relacionamentos tóxicos.

5. Promova Perspectivas Diversas

Pais e mães têm opiniões, ideias e soluções diferentes para os problemas. Quando as crianças são expostas a essa perspectiva diversa, seu mundo interior se expande. Ela pode resolver problemas de diferentes maneiras e analisar os obstáculos em seu caminho de diferentes ângulos.

Além disso, quando pais e mães trabalham juntos para transmitir suas habilidades a eles, as habilidades da criança são multiplicadas.

6. Promove um melhor desenvolvimento emocional

As crianças que vivem com os pais desde cedo sentem-se mais seguras emocionalmente. Eles são mais confiantes, independentes, curiosos e, à medida que crescem, desenvolvem relacionamentos saudáveis.

Como a presença dos pais faz com que seus filhos se sintam bem-vindos, eles não têm medo de explorar o mundo e as oportunidades ao seu redor. Durante a adolescência, e especialmente na idade adulta, eles podem se sentir seguros para procurar ajuda com um problema que os preocupa (o que muitas vezes é constrangedor para o filho).

Brincar com os pais pode ensinar as crianças a regular seu comportamento e emoções. De acordo com o estudo “A Importância dos Pais no Desenvolvimento Saudável das Crianças”, as crianças que dependem da presença do interesse do pai são menos propensas a ter depressão, ansiedade e apresentar comportamentos autodestrutivos, como mentir ou brigar.

7. Ensinando sobre relacionamentos

Você sabia que aprendemos sobre relacionamentos amorosos olhando para nossos pais?

Não é incomum que homens que agridem suas esposas presenciem o mesmo comportamento na família. Da mesma forma, as mulheres em relacionamentos ruins costumam citar a submissão da mãe como exemplo.

Inconscientemente, a forma como os pais tratam suas mães é absorvida pelos filhos, que, ao procurarem um parceiro, tendem a escolher pessoas cujos comportamentos se assemelham à dinâmica familiar. Os pais mostram aos filhos com quem eles devem se conectar no futuro e como eles devem se conectar.

ONPH BRASIL.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe